Escola das Artes promove novo programa conjunto com o Porto/Post/Doc

 
Para lá de estar representada na competição com várias produções próprias, a Escola das Artes é, uma vez mais, parceira do Porto/Post/Doc, propondo entre os dias 25 e 26 de novembro um programa conjunto com o festival.
 
Assim, a EA acolherá no dia 25 de novembro pelas 18h30 uma projeção do filme Bendito Machine seguida de conversa com o realizador Jossie Malis, enquanto que no dia 26 de novembro, também às 18h30, o Auditório Ilídio Pinho será palco para uma masterclass com o realizador galego Eloy Domínguez Serén.
 
A edição de 2020 do Porto/Post/Doc decorre a partir de hoje, dia 20 de novembro, voltando a ocupar vários espaços da cidade como Teatro Municipal do Porto - Rivoli, Cinema Passos Manuel, Planetário do Porto e Escola das Artes e apresentando ainda uma parte da programação em plataformas online. Como proposta temática, o convite este ano é para um balanço das transformações da representação cinematográfica das cidades ao longo do último século, desde o frenesi das vanguardas dos anos 20 até ao slow cinema contemporâneo. 
 

Jossie Malis (1976) é um ilustrador, animador e cineasta de origem peruano-chilena. Tendo crescido entre dois países, passou a última década entre dois continentes, com passagens por Nova Iorque Flórida e Barcelona, ​​estando agora baseado na ilha de Maiorca em Espanha. O seu trabalho é um comentário agudo sobre os humanos e suas fraquezas, as suas máquinas, os seus sonhos e os mistérios do universo.
 
 
Eloy Domínguez Serén nasceu em 1985 em Simes (Galiza). Estudou em Salamanca, Milão e Barcelona, onde se formou em 2010. Antes de se estrear como cineasta, trabalhou como crítico de cinema, tornando-se membro do Júri da Juventude na 67ª Biennale di Venezia em 2010. Em 2012 mudou-se para a Suécia, onde realizou a sua curta-metragem Pettring. Em 2014 lançou dois novos projectos, a curta-metragem I Den Nya Himlen e a média-metragem Jet Lag). O seu filme No Cow on The Ice foi estreado em 2015 no Visions du Réel e premiado em Toulouse, Filmadrid, Play-Doc, L'Alternativa ou Márgenes, enquanto as suas duas obras mais recentes, as curtas-metragens "Yellow Brick Road" e "Rust", foram estreadas em Jihlava IDFF e FID Marselha, respectivamente. Em 2017 o seu novo projecto Hamada foi seleccionado para a Doc Station da Berlinale e ganhou dois prémios no Doc Outlook do Visions du Réel. Além disso, foi também seleccionado para participar na Berlinale Talents 2017. Hamada estreou no IDFA 2018, foi seleccionado em festivais como o Cinéma du Réel ou BAFICI e foi premiado no Cinéma du Réel, Festival Internacional de Cinema de Gijón, Tempo ou Porto/Post/Doc. Juntamente com esse projecto, está actualmente a trabalhar em The Darker It Gets, uma produção sueca rodada no Círculo Árctico.