Conselho Consultivo

 
 
Teresa Cruz, Universidade Nova de Lisboa - Portugal
 

Maria Teresa Cruz é Professora Associada no Departamento de Ciências da Comunicação na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa. Leciona nas áreas de Teoria da Imagem, Estética dos Media e Cultura e Arte Contemporâneas. É investigadora integrada do Grupo de Investigação “Cultura, Mediação e Artes”, do Instituto de Comunicação da NOVA (ICNOVA), tendo sido sua coordenadora entre 2012 e 2015. É fundadora da revista Interact - Revista Online de Arte, Cultura e Tecnologia, que dirigiu entre 2000 e 2006. Recentemente dirigiu o projeto internacional “Afro-European Narratives” (2018-19) com foco em Medias Digitais e Cultura da Participação. Em 2013, participou na implementação do projeto do Centro Interpretativo Gonçalo Ribeiro Telles do Jardim Gulbenkian. Entre 2008 e 2010 fez parte do projecto que concebeu o design do Museu de Arte Paleolítica do Parque do Coa. Principais publicações: “A Modernidade Estética. Uma arqueologia do sensível” (Nova Vega/Amazon I.P., 2020); “Media Theory and Cultural Technologies” (Cambridge Scholars, 2017); “Novos Media – Novas Práticas” (Lisbon: Vega, 2011).


 

Gerfried Stocker, Ars Electronica - Aústria
 

Gerfried Stocker é um artista multimédia com formação em engenharia das telecomunicações. Em 1991, fundou a x-space, uma equipa de projetos artísticos multidisciplinar, que produziu numerosas instalações e performances em torno da robótica, telecomunicações e interatividade. Desde 1995 é diretor do instituto científico, cultural e educacional Ars Electronica, especializado em arte dos Novos Media, tendo desenvolvido o Departamento de Investigação e Desenvolvimento, Ars Electronica Futurelab, com suas estratégias inovadoras de curadoria e exposição. Stocker é orador convidado em múltiplas conferências internacionais, Professor Visitante na Universidade de Artes de Osaka e Professor convidado na Universidade Deusto Bilbao.


 

Pedro Rebelo, Queen's University Belfast - Irlanda

Pedro Rebelo é compositor, artista sonoro e performer. Doutorou-se em 2002 na Universidade de Edimburgo, com uma investigação sobre as relações entre música e arquitetura. Recentemente esteve ligado a projetos que envolvem a participação artística de comunidades em Belfast, das favelas de Maré no Rio de Janeiro, e numa cidade favelada de Moçambique, além de comunidades nómadas em Portugal. O seu trabalho tem sido exposto um pouco por todo o mundo, como por exemplo, no Metropolitan Arts Centre, Belfast, no Espaço Ecco em Brasilia, no Parque Lage e Museu da Maré no Rio de Janeiro e no MAC em Nitéroi. Assim como a sua música, apresentada em espaços como o Melbourne Recital Hall, o  National Concert Hall Dublin, o Queen Elizabeth Hall, a Ars Electronica, a Casa da Música, em eventos como o Weimarer Frühjahrstage fur zeitgenössische Musik, o Festival Wien Modern, o Cynetart ou Música Viva. Assinou colaborações artísticas com músicos como Chris Brown, Mark Applebaum, Carlos Zingaro, Evan Parker e Pauline Oliveros. Tendo por base as suas reflexões sobre práticas criativas, design, cultura contemporânea e novas tecnologias, Rebelo foi professor visitante na Universidade de Stanford (2007), na URFJ no Brasil, e ainda investigador colaborador no Instituto de Etnomusicologia - Centro de Estudos em Música e Dança (INET-md) na Universidade Nova de Lisboa. Na universidade de Queen’s em Belfast já ocupou diversos cargos, entre os quais o de Professor de Artes Sónicas e o de Diretor.


 

A. Elena Charola, Smithsonian Institution - Museum Conservation Institute - Estados-Unidos
 
 

Elena Charola é especialista em deterioração e conservação de pedra e outros materiais de construção porosos inorgânicos. Atualmente é investigadora no Museum Conservation Institute. Foi conselheira científica e coordenadora do Programa World Monuments Fund-Portugal. Como consultora independente trabalhou em vários projetos do World Monuments Fund. Lecionou Conservação Arquitetural Avançada no programa de Preservação Histórica na Universidade da Pennsylvania. Deu aulas no Centro Internacional de Conservação Raymond Lemaire na Universidade Católica de Leuven na Bélgica. Lecionou no Curso bianual UNESCO/ICCROM de Conservação de Pedra, em Veneza. É autora de diversos livros e centenas de artigos científicos sobre deterioração e conservação de pedra e alvenaria. Lecionou em várias universidades americanas, europeias e na América Latina. No Museum Conservation Institute conduz investigações sobre biodeteriorização em superfícies de pedra e é editora sénior da série de publicações do Smithsonian Institution Scholarly Press.

 

Erika Balsom, King's College - Londres

 

Erika Bandom é Leitora em Estudos Fílmicos no King’s College em Londres. É autora dos livros “TEN SKIES” (2021), “An Oceanic Feeling: Cinema and the Sea” (2018), “After Uniqueness: A History of Film and Video in Circulation” (2017), e “Exhibiting Cinema in Contemporary Art” (2013). É ainda co-editora das obras “Artists’ Moving Image in Britain Since 1989” (2019) e “Documentary Across Disciplines” (2016). Em 2018 recebeu o prémio Philip Leverhulme e o Kovacs Essay Award atribuídos pela Society for Cinema and Media Studies. É doutorada em Cultura Moderna e Media pela Brown University.