BIONANOSCULP –Aplicações de biotecnologia para a conservação preventiva de escultura de exterior em suporte metálico e pétreo

PrintPrint
Português
Estado: 
Em curso
Grupo de investigacao: 
Património e Conservação-Restauro
Tipologia: 
Investigação e Desenvolvimento
Investigador principal: 
Patrícia Moreira
Resumo: 

A exposição constante de esculturas públicas urbanas ao ar livre a elementos ambientais coloca-as num grupo de alto risco no contexto do património cultural de cidades, regiões e países. Além dos elementos climáticos e da poluição, os agentes biológicos têm um papel importante na deterioração do patrimônio cultural, causando danos estéticos, biogeofísicos e biogeoquímicos. Os microrganismos responsáveis ​​pela biodeterioração das esculturas urbanas são diferentes de acordo com os materiais presentes, sendo frequente a presença de ecossistemas maduros de bactérias, fungos, líquenes e microalgas em crescimento na superfície das obras de arte. Dada a grande diversidade de materiais tanto no campo das ligas metálicas (bronze, ferro) como no dos suportes pétreos (granito, mármore ou calcário), e que as obras incluem ainda materiais de criação humana como cerâmicas e cimento, a variabilidade dos elementos envolvidos é também alta. Incluem-se igualmente neste grupo de risco os materiais arqueológicos que tendem a definir problemas de conservação semelhantes ao das esculturas de ar livre. De modo geral, os tratamentos de conservação visam ou erradicar os agentes responsáveis ou impedir o seu crescimento. O principal objetivo deste projeto é o de desenvolver nanofilmes para aplicação de camadas de proteção com efeitos antimicrobianos e com a possibilidade de se incluírem efeitos anti -radiação UV. O nível de inovação é suportado por um grupo de trabalho que integra investigadores do CITAR (EA-UCP) e do CBQF (ESB-UCP) com vasta experiência no estudo da biodeterioração do património cultural. O CICECO (U.A) é uma das unidades de investigação de excelência parceira do projeto com experiência na análise de biomateriais. A nível internacional o projeto conta com a parceria do SECYR- da Universidade Autónoma de Madrid para a realização de teste de avaliação final dos produtos. O projeto BIONANOSCULP é ambicioso e trará importantes desenvolvimentos na área de nanomateriais inovadores, sustentáveis, não invasivos e de alto desempenho na área de conservação e arqueologia, muito especificamente na área de escultura ao ar livre, e terá certamente um forte impacto na conservação, arqueologia e sociedade.

Referência: PTDC/EPH-PAT/6281/2014 suportado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia.